Educação de Infancia

Junho, 2009


Aspectos importantes para uma Educação de Qualidade

Jun 2, 2009 Autora: Raquel Martins | Colocado em: Educação de Infância

ASPECTOS IMPORTANTES PARA UMA EDUCAÇÃO DE QUALIDADE:

1) Organização de espaços: condição basilar para formação da criança. Espaços amplos, diferenciados onde haja um fácil acesso por parte das crianças.

Espaço: extensão indefinida, meio sem limites e que contem todas as extensões finitas. É algo físico, liga-se aos objectos que ocupam esse espaço. É um conjunto complexo onde a vida acontece – vertente racional.

Para a criança o espaço está cheio de sensações, odores, lembranças e grandezas. É também um ambiente de aprendizagem, e reflecte a aprendizagem. Reflecte as actividades que se desenvolvem, as relações entre alunos/professor, relações com o exterior. Reflecte tb os nossos interesses e dos nossos alunos – intervenientes do processo educativo. Reflecte o modo como o educador concebe a vida.

“O ambiente fala mesmo que nos mantenhamos calados”

Quando nos referimos a um espaço físico, referimos os móveis que lá existem, os materiais didácticos e decoração.

ESPAÇO/AMBIENTE:

– dimensão física: só a parte material

– dimensão funcional: forma como utilizamos o espaço

– dimensão temporal: a organização dos espaços/tempo tem de ser coerente. Refere-se ao ritmo de cada actividade

– dimensão racional: diferentes modos de as crianças terem acesso aos espaços. Normas e modos como elas se estabelecem, se são impostas ou se são de consenso. Está relacionado com os diferentes agrupamentos das crianças e com o papel do educador nessas actividades

O ambiente só existe com todas estas dimensões a interagirem entre si.

– ESPAÇO COMO ELEMENTO CURRICULAR: é uma condição externa, primordial e basilar para facilitar o processo educativo, não só ele, mas ele em conjunto com os objectivos previamente estabelecidos num plano no início do ano, e os métodos que caracterizam o nosso estilo de trabalho.

Como elemento curricular, o espaço passa a fazer parte dos nossos projectos. É um recurso educativo que reflecte a nossa concepção metodológica.

– ALGUNS ELEMENTOS PODEM CONDICIONAR A ORGANIZAÇÃO DE ESPAÇOS:

Condições climáticas

Recursos existentes, nomeadamente, a biblioteca, as condições arquitectónicas da escola e os espaços externos á escola e a sua apropriação, nomeadamente, recreios, equipamentos e características do recreio.

– A SALA DE ACTIVIDADES: elementos que lhe são próprios:

– espaço físico: janelas, pontos de água, (torneiras), armários fixos, etc.

– mobiliário: a sua quantidades, se há falta de espaço ou excesso de mobiliário, de que tipo (leve, pesado, polivalente, adequado as crianças).

– materiais: a sua variedade e segurança, a organização dos mesmos – é importante que promovam a autonomia.

– MODELOS PEDAGÓGICOS QUE CONDICIONAM O ESPAÇO PEDAGÓGICO

– AS CRIANÇAS: cada uma tem necessidades específicas, meio do qual provêm.

– EDUCADOR: tem valores que são susceptíveis de condicionar a orgânica, e a sua experiência, ou não, a sua criatividade, ou não, e ainda aspectos pessoais.

CRITÉRIOS PARA A ORGANIZAÇÃO DOS ESPAÇOS:

– sensibilidade estética:

# cor – espaços coloridos e harmoniosos

# originalidade e criatividade

# personalidade da sal – reflectir a identidade das crianças e valorizar os seus trabalhos

# incluir réplicas de obras de arte

– polivalência: permitir que os espaços possam ser utilizados para vários fins

– transformação dos espaços

– diversidade

– segurança

– autonomia

– diversidade: é importante varias de estruturas

MODELOS DE ORGANIZAÇÃO DA SALA DE AULA:

1)      territórios pessoais – trabalhos pessoais

2)      distribuição por áreas de actividades – rotatividade das crianças em diferentes lugares da sala. Esse lugares são especializados

3)      modelos mistos – existem tanto territórios de trabalho individual, como tb existem especializados

Bolo de Infância

Jun 1, 2009 Autora: Raquel Martins | Colocado em: As nossas leituras, Educação de Infância, O nosso cantinho, Pais

Ingredientes:

  • litros de espontaniedade e doçura.
  • muita vontade de brincar.
  • milhares de fantasias para imaginar.
  • sorrisos de ternura: sem medida.
  • 12 kg de curiosidade.
  • gotinhas de inocência de baunilha: a gosto.

Preparação:

  • Aos ingredientes anteriores juntar os olhares de dois olhinhos cheios de diabruras e algumas lagriminhas.
  • Deixar repousar a mistura sobre mãos pequeninas tanto quanto for preciso.
  • Decorar com 1 kg de peripécias às cores, doces comentários e um montão de beijos gulosos.

Tempo de cozedura: varia segunda a maturação

Sugestão: não comer logo de seguida. Dar tempo para saborear.

Este miminho foi partilhado pela colega Liliana Serrano. Muito obrigada Liliana.

Pode ser usado no Dia Mundial da Criança.


Archives


Links


Meta

Advertising


Comentários Recentes