“A HISTÓRIA DO MANUEL”

Era uma vez um menino (como tantos outros meninos que existem) que se chamava Manuel. Tinha já 6 anos, já era um pouco crescido!… e gostava muito de passear.
Um dia pela manhã foi passear com os seus pais. Foram à Arrábida, a uma zona muito bonita com uma praia maravilhosa.
Foram de carro pois o caminho ainda era longo e muitos quilómetros pela frente tinham que percorrer.
O pai entrou no carro sentou-se no banco do condutor e colocou o cinto de segurança, a mãe entrou, sentou-se no banco ao lado do pai e colocou o cinto de segurança.
O Manuel não seguiu os passos dos pais, entrou e sentou-se no banco de trás mas…não colocando o cinto de segurança.  E vejam bem!!!!!!! os pais nem lhe disseram nada!!!
Andaram, andaram bastantes quilómetros. O Manuel já estava um pouco cansado de estar tanto tempo sentado, então levantou-se e de joelhos pôs-se à janela a observar as maravilhas do caminho. Como estava divertido o Manuel!!: via os passarinhos, as borboletas a conversarem umas com as outras, viu o caminho cheio de árvores e arbustos, a estrada longa e comprida. O caminho era de facto muito bonito.
De repente grita:
–    Cuidado…cuidado!!
O pai assustado trava a fundo, foi a confusão geral, a mãe e o pai  quase que eram projectados para a frente e o Manuel deu uma cambalhota tão grande que parecia que andava de carrossel. Os pais ficaram vermelhos do susto valente que levaram, mas nada de grave aconteceu e sabem porquê? Porque levavam o cinto colocado, do Manuel já não podemos dizer o mesmo pois este com a cambalhota que deu ficou todo arranhado.
Nesse mesmo instante um vozeirão vindo do outro lado da rua, se fez ouvir:
–    Atenção, meus senhores…atenção sem cinto é que não!! Viram a confusão?!
Era o Senhor polícia que assistiu a todo o acontecimento e ficou muito preocupado.
Foi falar com os pais do Manuel e explicou que o condutor e os passageiros quando entram no carro têm que colocar sempre e devidamente o cinto de segurança. Explicou também que os pais quando viajam com os filhos devem verificar se os filhos colocam o cinto de segurança e se vão sentados nas cadeirinhas de protecção quando ainda são pequeninos. Os pais devem ter sempre muita atenção pois as crianças às vezes são um pouco esquecidas!!
O Senhor polícia era muito amigo e até lhes disse:
–    “Passageiros seguros…que bonitos são”
–    Com cadeirinhas à medida, bem sentados e comportados, com os cintos apertados, acabou-se a confusão.
E assim os pais e o Manuel seguiram a sua viagem para a praia, mas desta vez com os cintos bem colocados e sem o nariz de fora da janela.
Vitória, Vitória e  acabou-se a nossa história.


Ao explorar esta história com as crianças, o educador de infância está  a contribuir para o desenvolvimento dos seguintes subtemas de Educação Rodoviária para a Educação Pré-Escolar:
•    transporte de crianças nos veículos em cadeiras de segurança
•    Comportamentos adequados e inadequados dos utentes

Prevenção Rodoviária