Mister Spy Was Here

Expressão musical


Pandeireta reciclada

Mar 13, 2010 Autora: Raquel Martins | Colocado em: Expressão musical

Com guízos, dois pratos de papel ou plástico pintados e devidamente decoradas. E já temos uma linda pandeireta.

Ai meu burro ai meu burro que me doi a cabeça!

O médico me manda uma gorrinha preta, uma gorrinha preta, (batendo palmas) sapatos trolaró, sapatos trolaró.

Ai meu burro, ai meu burro que me doi os olhinhos!

O medico me manda um par de ocolinhos!

Um par de ocolinhos, uma gorrinha, sapatos trolaró, sapatos trolaró.

Ai meu burro, ai meu burro que me doi a garganta!

O médico me manda uma gravata branca, uma gravata branca, um par de ocolinhos, uma gorrinha preta, sapatos trolaró, sapatos trolaró.

Ai meu burro ai meu burro que me doi o coração!

O médico me manda pinguinhos de limão, pinginhos de limão uma gravata branca,um par de ocolinhos ,uma gorrinha preta, sapatos trolaró, sapatos trolaró.

Ai meu burro,ai meu burro que me doi a barriga!

O médico me manda um chá de ortiga, um chá de ortiga,pinguinhos de limão, uma gravata branca, um par de ocolinhos, uma gorrinha preta, sapatos trolaró, sapatos trolaró.

Ai meu burro ai meu burro que me doi o corpo todo!

O médico me manda ir já, ir já pra cama, um chá de ortiga pinguinhos de limão uma gravata branca, um par de ocolinhos, uma gorrinha preta, sapatos trolaró, sapatos trolaró.

Esta música infantil, além de ser muito divertida, explora o corpo, algum vestuário e trabalha a memorização, pois para ser cantada as crianças têm que se lembrar da “receita” anterior.

Para acompanhar a música, usamos um maravilhoso fantoche, que pode ser ou não usado. Este apenas um exemplo de um que podem fazer, pois o meu burro foi comprado.

Era uma vez um Rei

Jul 6, 2009 Autora: Raquel Martins | Colocado em: Expressão musical, Músicas Infantis

Era uma vez um Rei

Refrão: Era uma vez um rei
Com uma grande barriguinha
Comia, comia
E mais fome tinha.

-Bom dia, senhor rei
Como passa Vossa Alteza?!
Se continua a comer tanto
Vai rebentar concerteza.
-Isto dia o bobo,
No meio da palhaçada
Mas o rei continuava
Como se não fosse nada.

(Refrão)

_Bom dia, Senhor Rei!
Viva Vossa Alteza!
Depois de tanto comer
Como é que ainda tem vontade?
-Isto dizia a Rinha
Meia triste, meia zangada
Mas o rei continuava
Como se não fosse nada.

(Refrão)

-Bom dia Senhor Rei,
Vossa Alteza é o maior,
Um rei deve ser grande
Se for gordo ainda melhor.
-Isto dizia o cozinheiro
Olhando o rei de alto a baixo,
O rei que coma, que coma,
Quero lá perder o tacho.

(Refrão)

-Bom dia Senhor Rei
Faz Vossa Alteza muito bem.
Os reis são feitos para comer,
Para beber e dormir também.
-Isto dizia o conselheiro
Esfregando as nãos de contente.
O rei que coma, que coma,
Enquanto eu sou o regente.

(Refrão)

E para final desta história
Já com tanto que contar,
Vamos dizer-lhes amiguinhos,
Como o rei se passou a chamar.
Sua Alteza de tanto comer ,
Já só dava cambalhota,
O povo chamou-lhe então,
O não sei quê, é o «Rei Bolota».

(Refrão)

Mais uma partilha de uma música infantil, da colega Andreia, que sugeriu ser cantada no Dia de Reis. Fica para o Ano Andreia mas muito obrigada.

O Ratinho foi ao baile

O ratinho foi ao baile
De cartola e jaquetão
Sapato de bico fino
E um par de luvas na mão

Encontrou uma ratazana
Que dançava no salão
O ratinho aproximou-se
Apertando sua mão

A ratazana estava noiva
E não quis complicação
O ratinho ficou zangado
Sofrendo do coração.

Pegou na sua cartola
E retirou-se do salão…

O ratinho foi ao baile
De cartola e jaquetão
Sapato de bico fino
E um par de luvas na mão

Encontrou uma ratazana
Que dançava no salão
O ratinho aproximou-se
Apertando sua mão

A ratazana estava noiva
E não quis complicação
O ratinho ficou zangado
Sofrendo do coração.

Pegou na sua cartola
E retirou-se do salão…

Uma música infantil para ensinarem aos vossos meninos, usando este maravilhoso fantoche que é um rato muito simpático e que conquista a amizade de qualquer criança.

Era uma vez um cuco

Mai 5, 2009 Autora: Raquel Martins | Colocado em: Expressão musical, Músicas Infantis

Era uma vez um cuco
Que não gostava de couves
Era uma vez um cuco
Que não gostava de couves

Mandou-se chamar o pau
Para vir bater no cuco
Mandou-se chamar o pau
Para vir bater no cuco

O pau não quis bater no cuco
O cuco não quis comer as couves
E ele sempre a dizer ‘couves não hei-de comer’
E ele sempre a dizer ‘couves não hei-de comer’

Mandou-se chamar o fogo
Para vir queimar o pau
Mandou-se chamar o fogo
Para vir queimar o pau

O fogo não quis queimar o pau
O pau não quis bater no cuco
O cuco não quis comer as couves
E ele sempre a dizer ‘couves não hei-de comer’
E ele sempre a dizer ‘couves não hei-de comer’

Mandou-se chamar a água
Para vir apagar o fogo
Mandou-se chamar a água
Para vir apagar o fogo

A água não quis apagar o fogo
O fogo não quis queimar o pau
O pau não quis bater no cuco
O cuco não quis comer as couves
E ele sempre a dizer ‘couves não hei-de comer’
E ele sempre a dizer ‘couves não hei-de comer’

Mandou-se chamar o boi
Para vir beber a água
Mandou-se chamar o boi
Para vir beber a água

O boi não quis beber a água
A água não quis apagar o fogo
O fogo não quis queimar o pau
O pau não quis bater no cuco
O cuco não quis comer as couves
E ele sempre a dizer ‘couves não hei-de comer’
E ele sempre a dizer ‘couves não hei-de comer’

Mandou-se chamar o homem
Para vir ralhar com o boi
Mandou-se chamar o homem
Para vir ralhar com o boi

O homem não quis ralhar com o boi
O boi não quis beber a água
A água não quis apagar o fogo
O fogo não quis queimar o pau
O pau não quis bater no cuco
O cuco não quis comer as couves
E ele sempre a dizer ‘couves não hei-de comer’
E ele sempre a dizer ‘couves não hei-de comer’

Mandou-se chamar o policia
Para vir prender o homem
Mandou-se chamar o policia
Para vir prender o homem

O policia não quis prender o homem
O homem não quis ralhar com o boi
O boi não quis beber a água
A água não quis apagar o fogo
O fogo não quis queimar o pau
O pau não quis bater no cuco
O cuco não quis comer as couves
E ele sempre a dizer ‘couves não hei-de comer’
E ele sempre a dizer ‘couves não hei-de comer’

Mandou-se chamar a morte
Para vir matar o policia
Mandou-se chamar a morte
Para vir matar o policia

A morte já quis matar o policia
O policia já quis prender o homem
O homem já quis ralhar com o boi
O boi já quis beber a água
A água já quis apagar o fogo
O fogo já quis queimar o pau
O pau já quis bater no cuco
O cuco já quis comer as couves
E ele sempre a dizer ‘couves já é de eu comer’
E ele sempre a dizer ‘couves já é de eu comer’.

Canção para o Dia da Mãe

Mai 3, 2009 Autora: Raquel Martins | Colocado em: Dia da Mãe, Expressão musical, Músicas Infantis

Não  Há  Mãe melhor  que  a   minha

Sinto-a a   no  coração

Por mais amigos  que  tenha

Ela  está  sempre  à  mão .

Levas-me   sempre  à  escola

Fazes   a   minha  comida

Reparas  com  atenção

Se  tenho  a  roupa  vestida.

Mesmo  se  estás  cansada

Tens  sempre  tempo  p´ra  mim

São  carinhos  e   beijinhos

Eu  quero-te  só  p´ra   mim

Não há, há , há ,

Mãe  Melhor  que  a  minha  (bis , bis )

Música  : “Não há estrelas no céu … Rui Veloso

Uma música infantil para ensinarem os vossos meninos.

Uma partilha da Susana Severino

Formar um comboio

Abr 15, 2009 Autora: Raquel Martins | Colocado em: A nossa sala, Expressão musical, Músicas Infantis

O comboio


Vamos fazer um comboio
para as mãos irmos lavar
está na hora, está na hora
de nós irmos almoçar!

Vamos fazer um comboio
sossegado e caladinho
está na hora, está na hora
de dormirmos um bocadinho!

Vamos fazer um comboio
a sorrir e a cantar
está na hora, está na hora
de irmos lá fora, brincar!

Uma música para pedir que formem comboio, que pode ser adaptada ao que vão fazer.

Advertising


Comentários Recentes