Vou –vos contar a história da tia Bia que vivia numa quinta no Alentejo e que tinha muitos animais de quem gostava.

Um belo dia recebeu um convite para ir aos anos do netinho que morava em Lisboa.

O pior é que tia Bia só depois de comprar a prenda para o seu netinho é que viu que não tinha dinheiro que chegasse para arranjar o carro. É que ele já era muito velho e a última vez que tinha ido passear os cintos do carro, por estarem velhos, acabaram por se estragar.

Os animais da quinta tinham todos o cuidado de a avisar pois, gostavam muito da tia Bia e sabiam o quanto era perigoso andar sem cinto de segurança na estrada.

A galinha dizia: –   Tia Bia, tia Bia é muito arriscado, ir passear sem cinto levar!

O porquinho dizia: –  Tia Bia, tia Bia cuidado que para viajar o cinto deve levar!

A abelhinha dizia: –  Tia Bia, tia Bia na estrada vais parar e multa levar e o polícia não te vai desculpar!

O coelho dizia: –  Pobre tia Bia, sem o cinto colocar um acidente  pode ter e então vai ver que mal pode ficar!

A libelinha dizia: –  Nunca se deve ir em viagem sem verificar se tudo está operacional e o mais importante é se o cinto está funcional!

A Pata dizia: –   Tia Bia, tia Bia tu sabes que sem o cinto não deves viajar porque se travares de repente vai  bater no vidro da frente!

A borboleta dizia: –  Ai minha tia Bia! É tão bom viajar em  segurança sem ter de se preocupar e você nem o cinto vai lavar?!

Mas a tia Bia lá foi sem cinto, com muita atenção para o polícia não a multar.

Porém, depois de muito andar, de caras foi dar e o polícia teve de enfrentar.

Polícia – Muito bom dia senhora, onde vai passear?

Tia Bia – Ai senhor polícia aos anos do meu netinho eu vou.

Polícia – E que presente lhe comprou?

Tia Bia – Foi um brinquedo, senhor polícia.

Polícia – Muito bem. Então posso ver os documentos?

Tia Bia – Sim, sim estão aqui.

Polícia – Tudo em ordem! E agora vamos verificar o seu carro. Onde estão os cintos?

Tia Bia – Ai! Senhor polícia eu não tive dinheiro para os mandar colocar.

Polícia – Mas, assim não pode viajar vou ter de a multar.

Tia Bia – Oh! Senhor polícia peço-lhe por tudo que me deixe continuar a minha viagem que eu prometo-lhe que logo que chegue a Lisboa vou direitinha à oficina do meu filho e ele compra-me uns cintos de segurança e eu vou logo colocá-los.

Polícia – Muito bem minha senhora mas, não se esqueça porque, quando regressar, eu  vou aqui estar e levo-a presa por me estar a enganar.
Tia Bia – Não estou nada senhor polícia. Vai ver, eu vou voltar com uns cintos novinhos a brilhar.

A tia Bia despediu-se do senhor polícia e foi pedindo a todas as fadas que existissem para que alguma a ajudasse, pois o seu filho era tão pobre que não ia ter dinheiro para lhe emprestar e sem cintos iria ficar.
De repente a sua fada madrinha apareceu de cintos brilhantes prontos a serem colocados.
Então, com uma magia, tudo ficou no lugar mesmo antes de a Lisboa chegar.
Quando lá chegou a todos a sua história contou e nem queria acreditar que agora o senhor polícia podia enfrentar e sem medo podia viajar.

O seu filho dizia: – Mãe Bia, mãe Bia, ponha o cinto com cuidado não fique com ele encravado ou mal fechado.

O netinho dizia: – Ai minha rica avó Bia, é tão bom viajar em segurança sem sequer ter   de pensar que pode ter de parar quando o polícia avistar, sem se  preocupar, pois os cintos estão no lugar.

Externato “A COLMEIA”
Sobreda da Caparica – Almada

Ao explorar esta história com as crianças, o Educador de infância está  a contribuir para o desenvolvimento dos seguintes subtemas de Educação Rodoviária para a Educação Pré-Escolar:

•    Transporte de crianças nos veículos em cadeiras de segurança
•    Comportamentos adequados e inadequados dos utentes

Prevenção Rodoviária Portuguesa