Os bebs e as crianas pequenas esto sempre dependentes do contacto humano, de se lhes falar, da ateno que lhes d e da ternura com que recebem.
Os amplos processos de aprendizagens que se realizam nesta fase da vida, s podem ser accionados no calor seguro de uma relao harmoniosa entre pais, educadoras e crianas.

Por isso muito importante:

  • Habituao ao contacto e necessidades de contacto atravs da proximidade corporal, carcias sempre repetidas de olhar para ela, conversar com ela, bem como a sua integrao no mundo das coisas.
  • Educao da audio e da ateno atravs de sons barulhentos (vozes, campainhas, pandeiretas, etc.) que mais tarde viro em direces diferentes, com alturas e sequncias de sons diferentes. Estimulao da prpria produo de rudos (bater palmas, sons de roca, etc.)
  • Educao da viso e da ateno atravs de estmulos luminosos e em movimento, atravs de objectos com formas simples e cores ntidas (bolas, rocas, etc.), para isso conveniente limitarmo-nos a poucos objectos que mostraremos muitas vezes. Mais tarde poderemos acrescentar outros objectos mais pequenos, bem como imagens simples.
  • Exerccios de movimentos bucais, suco, lombar, mastigar (mais tarde, quando se do alimentos slidos) e igualmente fazer brincadeiras com sopro.
  • Ensinar a apalpar, mexendo em vrios objectos com a mo (ao principio ser conduzida).
  • Exerccios para a movimentao das mos, com estimulao para agarrar, dar a mo, bater palmas, dizer adeus, bater porta, atirar uma bola, fazer construes, chapinhar, atirar com coisas, fazer brincadeiras simples com os dedos, etc.
  • Educao para a movimentao do corpo, levando os movimentos espontneos a adaptarem-se a um dado ritmo com uma pandeireta cantando; rastejar, rebolar-se, endireitar-se, pr-se em p, andar de mo dada. A articulao da criana atravs dos exerccios de ginstica rtmica tem uma importncia muito especial.
  • Preparar a capacidade de comunicao da criana chamando-a pelo seu nome prprio, dizendo-lhe palavras ternas, dizendo o nome das pessoas e coisas e falando-lhe incansavelmente durante todas as actividades.
  • Estmulo para fazer ritmos: em conjunto e para cantar sons e melodias. Ensinar a criana progressivamente a empregar palavras determinadas para exprimir os seus desejos, ao pedir determinado objecto, repetindo incansavelmente as palavras e tendo as reaces apropriadas.
  • Habituar a criana a pouco e pouco a beber pelo seu copo e a comer com a colher.
  • Habituar a criana a ter um determinado ritmo de vida.
  • Fazer surgir e aprofundar estmulos emocionais, como alegria, confiana, bem-estar, etc. dando criana possibilidade de fazer experincias, exteriorizando sentimentos, deixando-a participar e aprovando os seus esforos.
  • Tudo o que se faa ter sempre que ser adaptado maneira de ser da criana.
  • Mostrar criana como se faz, faz-la colaborar e estimular a sua participao e iniciativa.
  • Todas as capacidades adquiridas devem ser incansavelmente exercitadas e repetidas. Tudo o que queremos ensinar de novo dever ser incorporado somente atravs de pequenos passos.
  • Todas as ordens que se do, bem como os estmulos de aprendizagem devero ser simples, calmos mas enrgicos.
  • muito importante que a criana conhea e brinque com objectos que h em todas as casas (tigelas, colheres de pau, molas de roupa, botes, papis, etc.).
  • Alm disto so necessrios materiais como bolas, argolas para morder, bonecos de pano lavveis, cestinhos, bolsas, livros de imagens e mais da vida de todos os dias.