ASPECTOS IMPORTANTES PARA UMA EDUCAO DE QUALIDADE:

1) Organizao de espaos: condio basilar para formao da criana. Espaos amplos, diferenciados onde haja um fcil acesso por parte das crianas.

Espao: extenso indefinida, meio sem limites e que contem todas as extenses finitas. algo fsico, liga-se aos objectos que ocupam esse espao. um conjunto complexo onde a vida acontece – vertente racional.

Para a criana o espao est cheio de sensaes, odores, lembranas e grandezas. tambm um ambiente de aprendizagem, e reflecte a aprendizagem. Reflecte as actividades que se desenvolvem, as relaes entre alunos/professor, relaes com o exterior. Reflecte tb os nossos interesses e dos nossos alunos – intervenientes do processo educativo. Reflecte o modo como o educador concebe a vida.

“O ambiente fala mesmo que nos mantenhamos calados”

Quando nos referimos a um espao fsico, referimos os mveis que l existem, os materiais didcticos e decorao.

ESPAO/AMBIENTE:

– dimenso fsica: s a parte material

– dimenso funcional: forma como utilizamos o espao

– dimenso temporal: a organizao dos espaos/tempo tem de ser coerente. Refere-se ao ritmo de cada actividade

– dimenso racional: diferentes modos de as crianas terem acesso aos espaos. Normas e modos como elas se estabelecem, se so impostas ou se so de consenso. Est relacionado com os diferentes agrupamentos das crianas e com o papel do educador nessas actividades

O ambiente s existe com todas estas dimenses a interagirem entre si.

– ESPAO COMO ELEMENTO CURRICULAR: uma condio externa, primordial e basilar para facilitar o processo educativo, no s ele, mas ele em conjunto com os objectivos previamente estabelecidos num plano no incio do ano, e os mtodos que caracterizam o nosso estilo de trabalho.

Como elemento curricular, o espao passa a fazer parte dos nossos projectos. um recurso educativo que reflecte a nossa concepo metodolgica.

– ALGUNS ELEMENTOS PODEM CONDICIONAR A ORGANIZAO DE ESPAOS:

Condies climticas

Recursos existentes, nomeadamente, a biblioteca, as condies arquitectnicas da escola e os espaos externos escola e a sua apropriao, nomeadamente, recreios, equipamentos e caractersticas do recreio.

– A SALA DE ACTIVIDADES: elementos que lhe so prprios:

– espao fsico: janelas, pontos de gua, (torneiras), armrios fixos, etc.

– mobilirio: a sua quantidades, se h falta de espao ou excesso de mobilirio, de que tipo (leve, pesado, polivalente, adequado as crianas).

– materiais: a sua variedade e segurana, a organizao dos mesmos – importante que promovam a autonomia.

– MODELOS PEDAGGICOS QUE CONDICIONAM O ESPAO PEDAGGICO

– AS CRIANAS: cada uma tem necessidades especficas, meio do qual provm.

– EDUCADOR: tem valores que so susceptveis de condicionar a orgnica, e a sua experincia, ou no, a sua criatividade, ou no, e ainda aspectos pessoais.

CRITRIOS PARA A ORGANIZAO DOS ESPAOS:

– sensibilidade esttica:

# cor – espaos coloridos e harmoniosos

# originalidade e criatividade

# personalidade da sal – reflectir a identidade das crianas e valorizar os seus trabalhos

# incluir rplicas de obras de arte

– polivalncia: permitir que os espaos possam ser utilizados para vrios fins

– transformao dos espaos

– diversidade

– segurana

– autonomia

– diversidade: importante varias de estruturas

MODELOS DE ORGANIZAO DA SALA DE AULA:

1) territrios pessoais – trabalhos pessoais

2) distribuio por reas de actividades – rotatividade das crianas em diferentes lugares da sala. Esse lugares so especializados

3) modelos mistos – existem tanto territrios de trabalho individual, como tb existem especializados