Lengalengas para trabalharmos nos nossos Jardim de Infncia.

A galinha mais o pato

1,2,3,4
A galinha mais o pato
fugiram da capoeira
foi atrs a cozinheira
que lhes deu com um sapato

A Cidade do Penteado

Vamos l imaginar
A Cidade do Penteado
Onde as casas para variar
Tm cabelo e no telhado.

Na Rua da Chamusca,
Mesmo junto ao passeio,
Fica uma casa patusca,
A casa do risco ao meio.

No Largo Pinto Caludo,
Mesmo em frente ao mercado,
H um prdio barrigudo,
O prdio do Risco ao Lado.

No beco sarapintado
H uma casa escondidinha
Com o telhado cortado
Mesmo rente, escovinha.

Logo a seguir, na Travessa,
No Jardim dos Girassis
h um prdio com a cabea
cheiinha de caracis.

Na Praa do Nabo Cozido,
A casa das Trs Chamins
Usa o cabelo to comprido
Que quase lhe chega aos ps.

E na Avenida Maria
– casa levada da breca –
a casa da minha tia
tem o telhado careca.

Abecedrio sem juzo

A a Ana, a cavalo numa cana.
B o Berto, que quer armar em esperto.
C a Cristina, nada fora da piscina.
D o Diogo, com chichi apaga o fogo.
E a Eva, olha o rabo que ela leva.
F o Francisco, come as conchas do marisco.
G a Graa, a, mordeu-lhe uma carraa.
H a Helena, preta, diz que morena.
I o Ivo, pe na mosca um curativo.
J o Jacinto, faz corridas com um pinto.
L o Lus, tem macacos no nariz.
M a Maria, come a sopa sempre fria.
N o Napoleo, dorme dentro do colcho.
O a Olga, todos os dias tem folga.
P a Paula, entra de burro na aula.
Q o Quintino, que na missa faz o pino.
R o Raul, a beber tinta azul.
S a Sofia, engasgada com uma enguia.
T a Teresa, come debaixo da mesa.
U o Urbano, que caiu dentro do cano.
V a Vera, com as unhas de pantera.
X a Xana, caando uma ratazana.
Z o Z, foi ao mar perdeu o p.

Bati porta n

Bati porta do nmero 1 vi uma menina a danar com um atum
” 2 ” com os bois
” 3 ” com um chins
” 4 ” com um pato
” 5 ” com um brinco
” 6 ” com os reis
” 7 ” com um valete
” 8 ” com um biscoito
” 9 ” com um bigode
” 10 ” com os ps

Tenho um cozinho

Tenho um cozinho
chamado tot
que me varre a casa
e me limpa o p

Ele tambm gosta
de lamber a mo
noite ao deitar
faz sempre o, o, o.

Baila

Baila o co
baila o gato
baila o feijo carrapato
carrapato, carrapatinho
baila mais um bocadinho

Gatito

Bichinho gato
que comeste tu?
sopinhas de leite
Guardaste-me delas?
Guardei, guardei
Onde as puseste?
Atrs da arca
Com que as tapaste?
Com o rabo da gata
Sape, sape, sape gato
sape, sape, sape gato.

O que est?

O que est na varanda?
Uma fita de ganga
O que est na panela?
Uma fita amarela
O que est no poo?
Uma casca de tremoo
O que est no telhado?
Um gato malhado
O que est na chamin?
Uma caixa de rap
O que est na rua?
Uma espada nua
O que est atrs da porta
Uma vara torta
O que est no ninho?
Um passarinho
Deixa-o no morno
D-lhe pozinho.

Rei

Rei, capito
soldado, ladro.
Menina bonita
de bom corao.

To, balado

To, balado,
cabea de co.
Orelha de burro,
sabe a leito.

To-balalo
Soldado ladro,
Menina bonita
No tem corao.

To-balalo
Senhor capito,
Espada na cinta
Sineta na mo.

To-balalo,
Cabea de co,
Orelhas de gato,
No tem corao,

To-balalo,
Cabea de co,
Cozida e assada
no meu caldeiro,

To-balalo,
Senhor capito
Orelha de porco
P’ra comer com feijo.

Chove chuvisca

Chove chuvisca
gua mourisca
Filha de rei
Maria Francisca.

Pico, pico saranico

Pico, pico saranico,
Quem te deu tamanho bico?
Foi a filha da rainha
Que est presa na cozinha.
Salta a pulga na balana
D um pulo vai pra Frana.
As meninas a correr
As meninas a aprender
A mais bonita de todas
Comigo se h-de esconder.

Arre Burro

Arre burro para so Martinho,
Carregado de po e vinho.
Arre burro para Loul,
carregado de gua p.
Arre burro para Mono,
carregado de requeijo.
Arre burrinho arre burrinho,
sardinha assada, com po e vinho.

Enviem-nos mais lengalegas. A partilha muito importante.