O comportamento humano no pode ser interpretado margem do contesto em que surge. A interaco entre pessoa e ambiente constitui o foco principal de ateno da psicologia da educao baseado no conceito interaccionista.

A perspectiva ecolgica exige a anlise dos contextos e das relaes estabelecidas entre eles. S assim possvel chegar a uma compreenso do funcionamento e desenvolvimento dos seres humanos.

Bronfenbrenner o representante mais reconhecido da psicologia ecolgica e, segundo ele, o contexto no qual as pessoas se desenvolvem constitudo por uma srie de sistemas funcionais ou estruturas concntricas e encaixadas umas nas outras. Com base na perspectiva ecolgica, o conceito de contexto transcende a sua descrio. O que interessa o contexto compreendido: a forma como o indivduo compreende o contexto em que actua. Assim, podem distinguir-se as seguintes estruturas:

Microssistema: padro de actividades, papis e relaes que a pessoa em desenvolvimento experimenta num determinado meio, com caractersticas fsicas, materiais e particulares (ex.: a escola);

Mesossistema: compreende as inter-relaes de dois ou mais meios nos quais a pessoa em desenvolvimento participa activamente (ex.: para uma criana so as relaes entre a famlia, a escola e os amigos do bairro; para um adulto, seriam as relaes entre a famlia, o trabalho e a vida social);

Exossistema: refere-se a um ou mais meios que no incluem a pessoa em desenvolvimento como participante activo, mas nos quais se produzem acontecimentos que afectam o que acontece sua volta (ex.: o sistema econmico e poltico relativamente escola);

Macrossistema: refere-se s correspondncias em forma e contedo dos sistemas de ordem menor que existam ou poderiam existir, ao nvel da subcultura ou da cultura na sua totalidade, juntamente com qualquer sistema de crenas ou ideologia que sustente estas correspondncias.

Da mesma forma, existem mudanas que se produzem nas pessoas como consequncia de qualquer tipo de educao, a partir das quais possvel estabelecer trs categorias:

1. educao formal ou educao regulamentada ou escolarizao;

2. educao no formal constituda por processos educativos especficos e diferenciados com uma finalidade clara e objectiva, mas situa-se margem do sistema educativo (educao de adultos, formao ocupacional no regulamentada);

3. educao informal baseada em processos educativos indiferenciados, subordinados a outros objectivos e processos sociais, nos quais a funo educativa no a dominante (ex.: mass media)

Do ponto de vista educativo, o indivduo, ao longo do ciclo vital, pode passar por uma srie de contextos educativos: famlia, escolarizao formal em todos os seus nveis, formao profissional e formao continuada, etc.

Assim, analisar um contexto significa fixar-se nas actividades, nos papis e nas relaes em que uma pessoa intervm.

Os padres de actividade no sistema educativo incluem o comportamento verbal e no verbal dos professores e dos alunos. As actividades escolares so planificadas, intencionais e so direccionadas para provocar mudanas no comportamento dos alunos Podem variar quanto aos objectivos, complexidade estrutural, adequao s caractersticas, etc. segundo o modelo ecolgico, a aquisio de novas capacidades depende, principalmente, do significado ou inteno que tenham para o sujeito as actividades nas quais est implicado, assim como a variedade e a complexidade estrutural de tais actividades.

No que diz respeito aos papis, so vistos como expectativas de comportamento associadas posio que uma pessoa ocupa. Isto implica certas previses de comportamento. A sociedade tem distribudos os comportamentos esperados do papel de aluno, de educador, de pai, etc. Uma mesma pessoa pode desempenhar diferentes papis: pai, profissional, irmo, filho. O conceito de desempenho de papel implica que cada pessoa tem uma forma especial de o desempenhar.

As relaes interpessoais so um ingrediente especial de qualquer microsssistema. No sistema educativo destacam-se trs relaes bsicas: a interaco educador-aluno, a relao entre colegas e as relaes famlia-escola.