• A vinda da criana para o Berrio deve ser preparada;
  • A separao, apesar de necessria, um processo doloroso tanto para a criana quanto para a me, mas superada em relativamente pouco tempo;
  • Devem-se procurar evitar grandes alteraes durante esse perodo de adaptao: mudana de residncia; retirada da chucha ou das fraldas; mudana das moblias do quarto da criana; etc.;
  • O facto da criana chorar na hora da separao frequente e nem sempre significa que ela no queira ficar na escola;
  • A ausncia do choro no significa que a criana no sinta a separao. No necessrio encarar esse facto com ansiedade, pode at ser um bom sinal;
  • Sempre que possvel, benfico que seja a me a entregar a criana educadora, colocando-a no cho e incentivando-a a ficar na Instituio. No recomendvel deixar a educadora com o encargo de retirar a criana do colo da me;
  • Nunca saia “escondida” do seu filho. Despea-se naturalmente.
  • A sala do Berrio um espao que deve ser respeitado e a sua presena nela, alm de dificultar a compreenso da separao, far com que as outras crianas “reclamem” a presena das respectivas mes;
  • Lembre-se que a equipa do Berrio trabalha com crianas em grupo, procurando distribuir a sua ateno pelos diferentes bebs;
  • Se os pais confiarem na Instituio e nos seus trabalhadores, sentiro segurana no momento da separao e, esse sentimento, ser transmitido ao beb, que suportar melhor a nova situao;
  • O perodo de adaptao varia de criana para criana, nico e dever ser respeitado;
  • Podero ocorrer algumas regresses de comportamento durante o perodo de adaptao, assim como alguns sintomas psicossomticos (febre, vmitos etc.);
  • Nesta fase, comum verificar-se, por parte do beb, uma ambivalncia de sentimentos: o desejo de autonomia e a sua necessidade de proteco ocorrem simultaneamente.