Educao de Infancia


O que necessrio para ser Educador ou Educadora de Infncia?

Out 22, 2009 Autora: Raquel Martins | Colocado em: Educao de Infncia

Muitas so as pessoas interessadas em saber como ser Educador ou Educadora. Muitas so as perguntas e as dvidas em relao a esta profisso, eu vou tentar esclarecer-vos.

Educador de Infncia uma profisso, que visa educar e orientar crianas dos 4 meses aos 5 anos (normalmente), e da sua responsabilidade promover todos os meios educativos para que a criana se desenvolva integralmente.

O Educador tem normalmente na sala um Tcnico Auxiliar de Educao para o ajudar no desempenho da sua funo.

O Educador responsvel pelo desenvolvimento das crianas que tem em sala e deve estabelecer uma relao com os pais, pois s assim possvel obter uma aco educativa integrada.

Cabe ao Educador observar cada criana para conhecer as suas capacidades, interesses e limitaes, fazer uma recolha de informaes sobre o contexto familiar e o meio em que as crianas vivem para compreender melhor as suas caractersticas. Em seguida, o Educador deve proceder ao planeamento do processo educativo de acordo com as informaes recolhidas junto do grupo e concretiz-lo na prtica.

Cabe tambm ao Educador trocar opinies com os pais e comunicar-lhes todos os aspectos do desenvolvimento dos filhos.

O Educador deve proporcionar as condies necessrias para que cada criana tenha uma aprendizagem com sucesso.

Para se ser Educador necessria uma Licenciatura, antigamente era uma Licenciatura em Educao de Infncia agora necessria uma Licenciatura (1 Ciclo de Estudos) em Educao Bsica e um Mestrado (2 Ciclo de Estudos).

Para terem a Licenciatura e posteriormente o Mestrado tm que escolher uma Escola de Ensino Superior pblica ou privada e concorrer.

Existem inmeras Escolas tanto privadas como pblicas, privadas algumas so:

Escola Superior de Educao Joo de Deus
ESEPF – Escola Superior de Educao de Paula Frassinetti
Escola Superior de Educadores de Infncia Maria Ulrich
ISCE

As ESE pblica existem por todo o pas:

ESE de Lisboa
ESE de Setbal
ESE de Santarm
ESE de Leiria

O Salrio varia, bem como o Horrio. Quanto ao desemprego ele existe em todas as reas, por isso, escolher ou no este curso s depende de vs.

Coloquei aqui ao lado nos Sites teis alguns links para Escolas Superiores de Educao, no coloquei todas porque seria impossvel.

Para ser Educador necessrio muito mais mas isto um comeo.

O Ourio

Out 25, 2008 Autora: Raquel Martins | Colocado em: Conhecimento do Mundo, Expresso musical, Msicas Infantis, So Martinho

O ourio j secou

j caiu a castanhinha;

hoje dia de comer

uma castanha cozidinha.

Cozidinha ou assadinha

na fogueira a saltitar;

hoje dia de magusto

vamos cantar e bailar.

Uma msica sobre o Ourio, que pode ser o nicio de uma explicao sobre o que “protege” a Castanha.

Levem Ourios, levem castanhas, levem folhas de castanheiro para as vossas salas, deixem-nos observar, tocar, cheirar, s tenham ateno ao Ourio, para que ningum se magoe.

Tchim P Tchim no Jardim

Out 23, 2008 Autora: Raquel Martins | Colocado em: Expresso musical, Msicas Infantis

A Pasta Tchim P Tchim no Jardim – Materiais do Educador da Porto Editora, e tem um custo de 35.91 ( j com os 10% de desconto).

um projecto que visa dar apoio ao Educador, para que este explore a Expresso Musical com os mais pequenos.

constituda por:

  • Pasta
  • Livro do Educador
  • Cd udio
  • 24 Cartes
  • 7 Cartazes

Tambm existe o Tchim P Tchim no Jardim, para o aluno com um custo de 8.90 .

http://www.webboom.pt/ficha.asp?ID=170966

Morder na Creche

Out 6, 2008 Autora: Raquel Martins | Colocado em: Creche

Morder…

Uma coisa muito comum nas Creches mas que costuma provocar muita preocupao nos pais so as mordidelas. Principalmente no perodo de adaptao, em que, alm da maioria das crianas estar a viver a sua primeira experincia social extra-familiar, os grupos esto em fase de formao, de primeiras impresses, ou em situaes de entrada de crianas novas para a sala, as mordidas quase sempre fazem parte da rotina diria das crianas. No fcil lidar com esta situao, tanto para os pais ( muito doloroso receber o filho com marcas de mordida!) , quanto para ns, Educadores (que nos sentimos impotentes, na maioria das vezes, sem conseguir impedir que elas aconteam).

importante pensarmos sobre este tema; Por que que as crianas pequenas se mordem umas s outras e s vezes at a si mesmas? Expresso de agressividade? Violncia? Stress? Sentimento de abandono?

As crianas pequenas geralmente mordem para conhecer. Para elas, tudo o que as cerca objecto de interesse e alvo de curiosidade, inclusive as sensaes. O conceito de dor, por exemplo, algo que vai sendo construdo a partir das suas vivncias pessoais e principalmente sociais, e no algo dado priori.

Mordendo o outro, a criana experimenta e investiga elementos fsicos, como a sua textura (as pessoas so duras? So moles? Rasgam? Partem?), a sua consistncia, o seu gosto, o seu cheiro; elementos sexuais (no sentido mais amplo da palavra), na medida em que morder proporciona alvio para as suas necessidades orais (nelas, a libido est basicamente colocada na boca) e ainda investiga elementos de ordem social, isto , que efeitos esta aco provoca no meio (o choro, o medo ou qualquer outra reaco do amiguinho, a reprovao do Educador, etc).

claro que, vencida esta primeira etapa de investigao, algumas crianas podem persistir em morder, seja para confirmar as suas descobertas ou para testar o meio ambiente (disputa de poder, questionamentos de autoridade, etc). Ou ainda, pode ser uma tentativa de defesa: ela facilmente descobre que morder uma atitude drstica. Raramente a mordida um acto de agressividade, e muito menos de violncia, a no ser que estejam a viver alguma situao de intenso stress emocional em que todos os demais recursos estejam esgotados.

Com o passar do tempo de trabalho em grupo, o Educador tem a possibilidade de planear as suas aces e estratgias no sentido de fazer com que as crianas possam reflectir, sobre esta questo.

Artigo da Psicopedagoga Claudia Sousa

Relaxar as crianas no Jardim-de-Infncia

Set 20, 2008 Autora: Raquel Martins | Colocado em: As nossas leituras

Salas lotadas, crianas agitadas, falta de ateno, barulho constante, educadores com muito trabalho… so vrios os motivos que justificam a prtica na sala de aula de um trabalho contnuo de relaxamento, extremamente benfico para manter um clima sereno no seio da escola.

Esta obra “Relaxar as crianas no Jardim-de-Infncia” da Porto Editora, prope cerca de 30 actividades/jogos originais, simples, sem qualquer tipo de custos, que promovem a calma e favorecem, em paralelo, o desenvolvimento motor.

Iniciao Matemtica no Jardim de Infncia

Set 10, 2008 Autora: Raquel Martins | Colocado em: Iniciao matemtica

Sugestes que devemos ter em conta para dar incio Matemtica no Jardim de Infncia:

1. Atravs das diversas actividades no Jardim de Infncia, tais como jogos, brinquedos, modelagem, manipulao de pauzinhos, caixas, etc., a criana vai adquirindo conhecimentos matemticos.
2. Desta iniciao depender muito o seu interesse pela Matemtica no futuro.
3. O Educador deve dar criana a oportunidade de observar tudo o que a rodeia, contando, comparando, medindo, etc.
4. O Educador deve aproveitar as situaes reais, para a iniciao da matemtica.
5. A criana na idade do pr-escolar dotada de excelente memria.
6. conveniente ensinar pequenaslengalengas/rimas e canes,que envolvamassuntos matemticos.
7. O Educador, para dar conhecimentos numricos, poder dar exerccios como contar as rodas do automvel,as cadeiras existentes na sala, as pernas da galinha, as patas do cavalo, etc.
8. O Educador deve relacionar os nmeros com coisas conhecidas da criana.

Para nos auxiliar e dar novas ideiasneste nossoregresso, o ” Brincar com a Matemtica no Jardim de Infncia”, da Porto Editora,ser til, pois, tem vrias sugestes de jogos,quelevama criana a teralgumas noesmatemticas. E assim, aprender Matemtica mais divertido.


Archives


Links


Meta

Advertising


Comentários Recentes